31/10/2017

Especial Halloween | Monstros Clássicos da Literatura

| |

Especial Halloween | Monstros Clássicos da Literatura


O Halloween finalmente chegou, depois de tanta espera, na verdade, até que passou rápido. Em comemoração a essa data macabra, separei aqueles monstros clássicos, que marcaram sua época e ousaram atravessar outras, sendo um marco não só no mercado editorial, como em nossas vidas. A nostalgia hoje vai vir com tudo para nos derrubar, amém! Mas, enfim, esses monstros representam a revolução trazidas por eles aos gêneros que hoje são conhecidos por nós. Se ler livros já nos proporciona inúmeras experiências e sensações, então o que poderia ser melhor para o Halloween do que relembrar personagens icônicos, conhecer suas histórias e quem sabe iniciar uma nova leitura para se aventurar no mundo do horror. 

Frankenstein

Frankenstein | Monstros Clássicos da Literatura

O personagem foi criado pela Mary Shelley no livro Frankenstein ou o Moderno Prometeu, primeiro livro a ser considerado ficção científica, sendo, portanto, muito influente para os que viriam a seguir. O livro é uma das obras mais lidas do seu tempo e permanece sendo lido atualmente, o que é bastante impressionante, pois Frankenstein foi lançado em 1918. 

O personagem do qual chamamos de Frankenstein, na realidade, não se chama assim, o personagem sequer possui um nome, uma vez que seu criador o denomina "monstro", "demônio" e até mesmo "aberração". Então, por que Frankenstein? Quem tem esse nome é seu criador Victor Von Frankenstein. O protagonista foi criado em laboratório com pedaços de cadáveres costurados que ganhou vida em uma noite de tempestade, devido a uma descarga elétrica.
A história do "Frankenstein" é na verdade bem trágica e até mesmo triste, pois Victor o rejeitou quando percebeu o que criou, experimentando sensações horríveis, que nenhum de nós gostaria de passar, como total desprezo e negligência por parte de quem deveria criar, ensinar e dar amor. 
O isolamento devido a dificuldade em se relacionar e a relação de desprezo que recebia de seu criador, o levaram a perceber que não teria tais coisas e então decidiu começar um processo de vingança e levar consigo, por onde andar, um rastro de morte. O personagem veio para nos mostrar como é importante a ética, o quanto a ganância pode gerar apenas caos e destruição, o quanto não se sentir parte das coisas e não conseguir se sentir aceito são sentimentos humanos, 'Frank' foi humanizado devido a todas essas coisas. Sob a personalidade do 'monstro' vemos o quanto a rejeição é ainda mais forte devido a sua aparência, de certa forma, o livro tenta expor e criticar esse paradigma. 

O livro e a história do 'monstro' que se tornou um ícone, um clássico, não é a toa. Várias adaptações para o cinema, para a televisão e para o teatro foram feitas, sendo um grande marco para a cultura pop e para as mulheres, pois tenho certeza que Mary nos mostrou que mulheres podem, sim, escrever coisas incríveis que são sucesso mesmo depois de 200 anos do seu lançamento.

Sr. Hyde e Dr. Jekyll

Sr. Hyde e Dr. Jekyll | Monstros Clássicos da Literatura

Desenvolvido por Robert Louis Stevenson, em 1886, o livro O Médico e o Monstro (título original: Strange Case of Dr Jekyll and Mr Hyde) retratava a múltipla personalidade do protagonista, que revela-se, em algumas situações, como Mr. Edward Hyde. A dualidade é contrastada ao longo do livro, seja por meio da questão do bem e do mal, mostrando o quanto não existe apenas bondade ou maldade em nós, mas um pouco de cada, algumas vezes uma em maior quantidade que a outra. Algo muito interessante é que os dois personagens são bem importantes, principalmente, em contexto histórico, visto que essa temática antropológica e psicológica ajudou bastante na compreensão da mentalidade humana. Na época em que o livro foi lançado, Freud vinha trabalhando em sua teoria psicanalítica, que mais tarde viria a revolucionar a psicologia. Incrível, né?
A Pinguim sabe que o personagem não é bem um monstro sobrenatural, como os demais desta lista, mas juntamente com Frankenstein ou O Moderno Prometeu e Drácula são clássicos que geraram impactos positivos para sua época e também nas futuras. Sendo, inclusive, consideradas por não mais que Stephen King, como os três grandes clássicos do gênero terror/horror. Isso não é pouco, hein!
Mr. Hyde é cruel, violento e não demonstra remorso, passa a maior parte do tempo escondido dentro do Dr. Jekyll e apenas se revela quando vai cometer alguma atrocidade. Outro fato é que em nenhum momento do livro é descrito sua aparência. Para vias de referência, o nome Hyde é para ser lido como Hide, mesma pronuncia para a palavra que significa esconder em inglês.

Não preciso dizer o quanto os personagens e a obra influenciou várias obras, como o heroi Hulk da Marvel. Além de ter sido adaptado para vários formatos, cinema, teatro e televisão.

Cthulhu 

Cthulhu | Monstros Clássicos da Literatura


É uma entidade cósmica, que teve sua primeira aparição no conto "The Call of Cthulhu" (O Chamado de Cthulhu), escrito em 1928 por H.P Lovecraft. A entidade está ligada ao mito dos Grandes Antigos, que criaram a vida e até mesmo o homem, sendo esse gerado por puro escárnio e servitude. Escondido em uma cidade submersa no Pacífico Sul, Cthulhu é um híbrido de octópode, gigante e dragão. Bizarro, não?
O monstro é constantemente citado nos livros por causa do medo absurdo que reproduz, além disso, ele é também usado no meio da ficção científica e da fantasia como sinônimo para expressar horror extremo.
Para vocês terem uma noção, olhar para ele pode causar insanidade naquele que ousou olhar. Olha, eu não gostaria de viver num mesmo lugar que esse bicho, não. Mas, enfim, Lovecraft é um dos escritores de terror mais influente e eu não preciso dizer que ele também virou referência para outras obras, né? Inclusive, ele cunhou o termo Terror Cósmico (Cosmismo), uma corrente filosófica literária, quem sabe a gente tenha um post sobre aqui, o que vocês acham?


Drácula 

Drácula | Monstros Clássicos da Literatura


Escrito pelo Irlandês Bram Stoker, o livro de mesmo nome do vampiro mais icônico Conde Drácula, foi desenvolvido em 1897 e nos conta sobre uma criatura sedenta por sangue e poder. O personagem que popularizou os esteriótipos vampirescos, obviamente não foi o Stoker que inventou os vampiros afinal vem de uma cultura mais antiga, mas o autor contribuiu significativamente, uma vez que sua obra inspirou muitas peças de teatros, cinema e televisão. Além de se tornar o segundo livro mais lido, perdendo apenas para a bíblia. 
Os pontos fracos do morcego, sim, ele se transforma em um, não,ele não é o Batman, eu acho; são as estacadas de madeiras, alho e decapitação. Então, fica aí a dica, caso vocês esbarrem com ele e tomem cuidado, pois o Drácula tem poder de sedução, viu?
Quando a Pinguim falou de esteriótipo, o que ela queria dizer é que o conde além de se transformar em morcego, tem os dentes pontudos e usa a capa preta, seguindo mais a mitologia que já existe sobre vampiros. Ah, a figura satânica muito é atribuída ao Senhor das Trevas, porque será, né? Muitas são as referências da cultura pop ao ícone, mas gostaria de destacar o jogo Castlevânia, que inclusive tem uma série animada com apenas quatro episódio, mais uma dica para vocês. Lembrando que vai ter resenha aqui no blog, então fiquem atentos.

Dementadores

Dementador | Monstros Clássicos da Literatura


São criaturas espectrais, horrendas diga-se de passagem, e encapuzadas que fazem parte do maravilhoso universo da Rainha J.K Rowling. Os Dementadores podem alcançar a altura de até 3 metros, não possuem olhos e o buraco onde deveria ficar sua boca é por onde eles realizam o ato mais cruel com alguém, o beijo do dementador, vocês já ouviram falar, certo? Se não, corre para assistir ou ler os livros, pelo amor da deusa. Essas criaturas horrendas tornam o ambiente mais frio também, para que o mesmo fique hostil e possibilite ainda mais as chances de eles sugarem a sua felicidade até chegar em um pouco em que tudo o que resta é sua alma e até isso eles devoram. Nesse momento, os traumas das vítimas veem a tona, pois ao retirar a felicidade, vai sobrando apenas sensações ruins e a esperança começa a ir embora também. É horrível, gente, credo. Tenho medo mesmo desses dementadores do demônio. As pessoas descreviam o beijo deles como algo "pior do que a morte."
Não bastando tudo isso, os Dementademônios, tô me sentindo bem Dustin, servem apenas aquele que lhe der mais almas, ou seja, se tiver uma oportunidade eles viram as costas e te mandam se ferrar, não dá mesmo para confiar. 
Mas, enfim, JK já revelou há um tempinho o quanto usou os Dementadores para representar a depressão profunda que ela teve antes de fazer sucesso com os livros de Harry Potter. Se analisarmos bem, é uma representação bem feita de uma das doenças mais terríveis. É importante que as pessoas que são fãs de HP possam enxergar na autora alguma força, a gente sabe o quão complicado é, ao menos ter algo com que retirar nem que seja o mínimo de esperança, já é algo. Sabemos também o quanto a ficção é importante por vários motivos e pode influenciar de formas positiva na vida de alguém.

Leia mais:

Pennywise

Pennywise | Monstros Clássicos da Literatura


Não poderia deixar de fora esse demônio, em forma de palhaço, até porque ele realmente toca o terror. Pennywise, mais conhecido como The Dancing Clow, é um personagem do livro It: A Coisa, escrito pelo nosso conhecido Stephen King, o que tem a mente mais sombria, brincadeira ou não. Enfim, It foi escrito em 1986 e conta a história de Pennywise que desperta a cada 27 anos para se alimentar e qual é o seu alimento preferido? Crianças, pois o palhaço nutre-se de medos e fobias de suas vítimas e as crianças possuem medos mais acessíveis, fáceis de incorporar.
Não bastando ser pura maldade, a entidade que é o palhaço consegue ler a mente e se transformar no objeto de medo. Além de ser capaz de estar em mais de um lugar ao mesmo tempo. Esse daí decidiu que iria aterrorizar mesmo. 
Ah, antes que a Pinguim esqueça, podendo se transformar em qualquer coisa, por que escolheria ele um palhaço? Justamente para atrair seu prato preferido, criancinhas. Uma coisa interessante, a entidade já se transformou em várias criaturas da cultura pop, mas venho ressaltar que tem aqui lista que ele de fato se modificou para ficar igual e foi o Drácula.


Leia também:  

Enfim, esses foram os personagens monstruosos clássicos da literatura, mais especificamente do terror e da ficção científica. Tagarelem comigo, quais outros vocês acrescentariam à lista? Quais tirariam? E quais desses vocês mais gostam? Só sei que odeio os dementadores e o palhacinho do mal também me dá nos nervos.


Acompanha a Pinguim mais (medrosa, mas que não consegue parar de assistir ou ler as coisas que dão medo) Tagarela nas redes socias:


Até a próxima tagarelice e lembrem-se malfeito, feito!


6 comentários:

  1. Xuxulu é herói nessa lista!
    Tirando Dementadores, gostei das escolhas.

    Armadura Nerd

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que tirando os dementadores não gosta deles? hahahahhah
      Muito obrigada!

      Excluir
  2. Eu adoro esse tema e o mês do halloween pra mim, é o melhor! Gosto tanto dos monstros clássicos como os mais modernos! Muito bom relembrá-los nesse post! Um beijo!
    Colorindo Nuvens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também amo o mês do Halloween, queria que durasse mais ahhaah

      Quero fazer uma lista dos monstros mais modernos também. Fico bem contente <3

      Beijos da Pinguim!

      Excluir
  3. Acho que qualquer pessoa que já teve depressão pode dizer, de verdade, que sabe como é estar na presença de um dementador. J.K. Rolling é fantástica demais, consegue materializar de forma tão brilhante o que está aqui, dentro na nossa cabeça no seu momento mais "falho"...
    Eu sou medrosona com terror, mas tenho muita vontade de ler Dracula porque acho que é o tipo de livro que a gente tem que ler em algum momento da vida. Minha irmã até tem ele há anos, mas não consegue acabar de jeito nenhum.

    Sweet Luly

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A depressão foi muito bem representada com os dementadores, né? Não conheço algo que foi mais bem personificado do que isso.

      Eu também sou, mas confesso que mesmo assim adoro ler e assistir coisas do gênero. Leia assim que der vale a pena, é um baita clássico <3

      Beijos da Pinguim!

      Excluir

Tecnologia do Blogger.